terça-feira, 23 de maio de 2017

Cubismo não vem de Cuba

"Que Picasso te pinte!"
Em Paris
Era uma das ofensas mais hostis
No início do século vinte.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Da cidade dos escombros

Blue Monday rasgando
A quarta cinza
No quarto branco
Cavalos à vista
Sem desconto
Da ficção cientifica
Da cidade dos escombros
Na vizinha piscina
Tentei nadar preso a um cinto
No primeiro minuto bebi água
Mesmo controlando o respiro
Eu me senti um rato, uma cobaia
O piso não se movia
Não saía do lugar
Seja bem-vinda a fobia
Mais nova ao meu lar.

domingo, 7 de maio de 2017

Como se fossem


É preciso pagar
As dívidas
Aos credores
Como se fossem inquilinos
Do próprio lar

É necessário carregar
As dúvidas
As dores
Como se fossem aplicativos
Do celular.





sexta-feira, 5 de maio de 2017

O sol depoente

Sob tortura,
O sol depoente
De pés juntos, jura,
Convictamente,
Que a culpa é da lua,
Ex- presidente.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Belchior foi e voltou


Que a poesia do Belchior
Ilumine nossos passos
Para um país melhor
Contra os devassos
Belchior foi e voltou
Está ao nosso lado
Tocando naquela rádio
Do interior
Para nos lembrarmos
De que o primeiro de maio
É o dia do trabalhador
E não do opressor.


sábado, 22 de abril de 2017

Nove vaidades e uma me tira

Os tempos mudam
De uma maneira
Súbita
E corriqueira
O que era
Sol na cuca
Virá em raios
E em chuvas
Tudo está tão rápido
Que parece uma fuga
Do próprio tempo
Que pensamos que temos
Mas no fundo,
No fundo mesmo,
É apenas música
Daí o remelexo.





terça-feira, 4 de abril de 2017

Nada mais atenua


Nada mais atenua
A crise brasileira
Vocês pedirão ajuda
Ao Batman, às panelas
E aos telejornais em fuga?
O futebol e a novela
Ainda manipulam
Os corações de manteiga
E as cabeças duras
Está pública a merda
No mercado, em casa, na rua
A despeito da cegueira
Da classe média
A lupa continua.